Alex Márquez revela desejo de ser “Rookie of the Year” na MotoGP

Piloto se junta ao irmão na temporada 2020 na classe principal

Alex Márquez revela desejo de ser “Rookie of the Year” na MotoGP






O espanhol Alex Márquez tinha a chance de defender o título inédito da categoria Moto2 em 2020, contudo, com a inesperada aposentadoria de Jorge Lorenzo, Alex ganhou a oportunidade de subir para a categoria principal ao lado do irmão Marc Márquez na garagem da Honda. 

A chance chegou em boa hora, afinal, Alex, agora com dois títulos mundial (moto3 em 2014 e Moto2 em 2019) se credenciou a ficar com a vaga na principal equipe da MotoGP e atual campeã com seu irmão mais velho.

Veja o que o piloto de 23 anos espera da sua temporada de estreia na MotoGP na entrevista a seguir:


O que significa para você estar no box da Honda ao lado do seu irmão na categoria principal?

É como um sonho que se torna realidade. É uma honra incrível defender este time e vestir essa camisa. Estou muito feliz de chegar a MotoGP e estar na equipe Repsol Honda Team. Estou muito orgulhoso, é uma grande novidade para mim, me acostumei a ver o Marc com essas cores, mas não eu. É especial!


Como é ser um novato na categoria estando em uma das princiapis equipes do padoock?

Acho que para qualquer novato é um sonho poder estrear em uma equipe de fábrica. Depois de me tornar campeão mundial na Moto2, meu principal objetivo era me tornar um piloto de fabrica na MotoGP e isso aconteceu. Estar na Repsol Honda que é uma das equipes com mais hitória na categoria é uma honra pra mim. Sei que é um grande desafio, mas um desafio bom.

 

Qual é o seu principal desafio para temporada 2020?

Posso dizer que o meu primeiro objetivo para 2020 é ser o novato do ano “Rookie of the Year”. No momento estou empenhado em conhecer mais a moto e poder aumentar o meu nível de sensibilidade para ganhar confiança. Antes da corrida no Qatar poderei saber melhor em que posição estamos realmente e o que poderemos fazer.

 

Como foi o seu primeiro contato com a equipe e como é ser um piloto de fábrica?

É realmente especial. Quando coloquei o macacão pela primeira vez senti aquele frio na barriga e percebi que aquilo estava mesmo acontecendo. Ver as motos paradas lado a lado no primeiro teste foi um sentimento muito especial e emocionante. Tenho certeza que nos teste da Malásia as coisas estarão mais tranqüilas e sobre controle, estarei mais relaxado e a vontade, mesmo com a equipe me dando todo o suporte em Jerez, estava sim um pouco nervoso.


Você será um dos pilotos mais altos da categoria, acha que isso pode ajudá-lo de alguma maneira?

Ser alto pode ter algumas vantagens, como por exemplo a maneira como você utiliza o seu peso. Talvez no molhado essa vantagem fique mais evidente, porém, também há desvantagens e precisamos trabalhar nisso. Você precisa aceitar isso e trabalhar para diminuir essas desvantagens no que for possível.

 

Você já tinha imaginado voltar para o box da Repsol e da HRC?

Quando você começa imagina que coisas assim podem acontecer, nos seus melhores sonhos você deseja isso, mas é difícil. Existe muitas horas de treino, muitas corridas e tudo pode acontecer na carreira de um piloto. Eu comecei em 2012 no campeonato Espanhol com a Repsol e venci o que foi muito especial. Em 2014 iniciamos um novo projeto com a Honda na classe Moto3 e vencer no meu primeiro ano foi incrível. Então depois de todos esses anos voltar a pilotar com a equipe Honda é um sonho. Estou ansioso para trabalhar duro junto com o time que tem pessoas maravilhosas.


É a primeira vez na história da MotoGP que irmãos dividem o mesmo box, como você se sente?

É um momento especial, será um ano especial, mas precisamos ser naturais e trabalhar de forma normal. Somos irmãos, mas dentro da equipe precisamos ser profissionais, afinal, somos pilotos diferentes. Cada um de nós tem a sua própria equipe e por isso é uma grande vantagem ter um piloto 6 vezes campeão mundial ao seu lado. Posso ver muitos dados dele e ter uma ideia de como é a melhor maneira de conduzir esta Honda para ter o melhor desempenho. Ter essa troca de informação com ele e com os outros pilotos Honda será fundamental no aprendizado e tentarei tirar o máximo possível disso.