Fábricas de moto paralisam atividades em Manaus

Honda, Yamaha e BMW anunciaram oficialmente suas paralisações.

Fábricas de moto paralisam atividades em Manaus






 HONDA 

A Moto Honda da Amazônia comunicou que as atividades produtivas em sua unidade fabril, localizada em Manaus (AM), estarão suspensas a partir da próxima sexta-feira, 27 de março, em função dos impactos da pandemia do Covid-19. O retorno está previsto para o dia 13 de abril, podendo ser postergado para 20 de abril.

Segundo o comunicado oficial da empresa: "A decisão prioriza a segurança e saúde das pessoas. Os colaboradores diretamente envolvidos no processo produtivo entrarão em férias coletivas a partir de 30 de março. Entre os dias 27 e 30, as jornadas serão compensadas com a utilização do banco de horas. A empresa também está direcionando o maior número possível de profissionais das áreas administrativas para férias coletivas ou regime de Home Office. Para as atividades imprescindíveis, que não podem ser realizadas a distância, será mantido um contingente mínimo de colaboradores, com as medidas de prevenção recomendadas pelas autoridades para proteger as pessoas e conter a disseminação do vírus."

A Honda informou que seguirá acompanhando o cenário, bem como as orientações oficiais dos Governos Municipais, Estaduais e Federal, unindo-se aos esforços coletivos para conter os avanços do Covid-19. Dessa forma, a fabricante contribui para que as condições de vida e da indústria de motocicletas, que vem registrando crescimento e investimentos, retornem com êxito à normalidade no menor tempo possível. 

 YAMAHA 

A Yamaha Motor do Brasil enviou comunicado oficial informando o seguinte: 

"Em atendimento às recomendações das autoridades de saúde e no esforço de contenção à Pandemia do COVID-19, a Yamaha Motor do Brasil e as demais empresas que fazem parte do Grupo Yamaha, adotaram nas últimas semanas algumas medidas para garantir o bem-estar e saúde dos colaboradores e de seus familiares. Essas medidas incluem, e não se limitam, a adoção do trabalho remoto para uma parcela dos colaboradores, reuniões internas e com fornecedores realizadas por videoconferências, viagens pelo país e ao exterior suspensas e todos os eventos e ações internas e externas cancelados."
 
A Yamaha também suspenderá os trabalhos em sua fábrica no período de 31 de março à 19 de abril, regressando às atividades no dia 20 de abril de 2020.
 
No entanto, no mesmo comunicado a empresa garante que algumas áreas essenciais com necessidades específicas poderão, eventualmente, trabalhar em regime excepcional de plantão. "Nesses casos, a empresa seguirá oferecendo a seus colaboradores todas as proteções individuais necessárias em salvaguarda para evitar o contágio. Medidas adicionais, quando definidas serão informadas oportunamente."

A Yamaha é a segunda maior fabricante do País, com uma presença expressiva em todo o território nacional.

 BMW 

O BMW Group Brasil também anunciou a paralisação temporária de sua planta de Manaus. A paralização acontece a partir de 30 de março e o retorno das atividades está previsto para 23 de abril. A medida faz parte de uma série de ações que a companhia tem aplicado para proteger seus colaboradores, com o avanço da COVID-19. Outras ações para aumentar a proteção dos colaboradores já foram tomadas pelo BMW Group, como redução das pessoas em unidades produtivas, cancelamento de viagens, medidas para proibir aglomerações dentro da planta, áreas administrativas em sistema de home-office e intensa comunicação sobre higienização e formas de evitar a contaminação e propagação do novo Coronavírus.  

Além disso, a diretoria segue reunida diariamente para tomar as medidas necessárias de proteção aos funcionários e ao negócio assim como diariamente são levadas novas informações de saúde e segurança para todos os colaboradores. A empresa espera recuperar os dias de produção ainda em 2020. “Nosso foco agora é proteger nossos colaboradores, manter todos em segurança e com saúde, e nos preparar para o que virá, com a retomada das atividades e do mercado. Ao adotar esta medida preventiva, acreditamos reduzir a circulação dos nossos funcionários e, como consequência, a redução das chances de um eventual contágio”, afirma Jefferson Dias, Diretor da Fábrica de produção de motocicletas do BMW Group em Manaus.