TBT: CERAPIÓ 2004

Do Ceará ao Piauí: 1300km de aventura e muita adrenalina

TBT: CERAPIÓ 2004






(O Jeca viajou de Carro -de-Boi a convite da Organização)

 A 17ª edição do Cerapió apresentou todas as características que vem fazendo, ao longo dos anos, este tornar-se um dos mais queridos enduros do país. A prova apresenta uma organização impecável, sob o comando de um ex piloto e treieiro chamado "Cordão", que tem uma visão ampliada sobre o sucesso do esporte off-road. E ele mesmo tem conseguido transformar seu enduro CERAPIÓ / PIOCERÁ num mega-sucesso, que mobiliza bastante os estados por onde passa, atraindo muitos competidores, autoridades e certamente promovendo excelente retorno comercial aos seus patrocinadores.

Neste ano, a prova aconteceu entre os dias 20 e 25 de janeiro, largando da belíssima cidade de Fortaleza, onde havíamos estado no final do ano passado, para a cobertura do Six Days. A largada promocional aconteceu em frente ao Hotel Marina Park, e, mesmo com a chuva fina, que quase obrigou o seu cancelamento, foi uma largada muito bonita, sendo que todos os pilotos, desde as 160 motos, passando pelos 101 carros, 3 quadriciclos, até as 78 bicicletas, passaram por uma rampa, bem iluminada e que dava, a cada um, seus 5 segundos em frente ao público, suficientes para acelerar o coração de qualquer um.

O Cerapió é realizado nos anos pares - nos anos ímpares a prova inverte seu nome para Piocerá, e também o trajeto, largando do Piauí, e terminando em Fortaleza. A prova deste ano contou então com nada menos que 342 pilotos, certamente um número bastante expressivo, ainda mais quando se percebe que eles seguiram de 20 estados diferentes em direção à prova, e, se valeu a pena? Veja nas próximas linhas.

PRIMEIRO DIA - FORTALEZA(CE) a SOBRAL (CE)

Tradicionalmente, o Cerapió já é uma prova que apresenta as dificuldades naturais do terreno árido do nordeste. Como as distâncias a serem percorridas são muito grandes, os pilotos pegam vários trechos em estradas vicinais, mas sempre há uma trilha e um peguinha de roteiro esperando os mais desatentos. No entanto, em 2004, a chuva deu um toque especial à prova, que, mesmo assim, teve novamente uma média relativamente fácil de ser cumprida, ideal para a primeira prova da temporada, onde a maioria ainda se recupera das festas de final de ano.

No primeiro dia, os pilotos largaram de Fortaleza, já as 6 horas da manhã, e teriam pela frente nada menos que 341km, até chegaram a Sobral, no interior do estado, onde aconteceria o primeiro pernoite. Foi um dia tranquilo, com poucas trilhas, e nenhum sufoco, mas que mesmo assim, já tirou alguns da disputa, por problemas mecânicos. Logo no início, os pilotos percorreram pequena parte do litoral ao norte de Fortaleza, e depois seguiram em direção ao interior. No meio do caminho, uma longa subida em direção ao Cruzeiro da cidade de Uruburetama, ponto mais alto da região, somente programado para a competição das motos, visto que a subida era muito estreita para a passagem dos carros, e que, para as bikes, seria realmente impossível chegar até lá. Um detalhe que marcou a facilidade das médias foi o fato do vencedor da categoria Master ter perdido somente 6 pontos no dia inteiro: isso é que é regularidade! Parabéns ao baiano Josevan Barreto.

SEGUNDO DIA - SOBRAL (CE) a PARNAÍBA (PI)

Os pilotos já sabiam, desde o briefing realizado ainda em Fortaleza, pela organização do evento, que o 2º dia provavelmente seria decisivo para a prova. Eles foram avisados que havia várias pegadinhas de roteiro, mas não sabiam que um grande "sufoco" estava previsto, ainda na primeira metade da prova, e que seria necessária muita técnica para transpassá-lo. E assim foi... saindo de uma estrada vicinal, logo após passar uma pequena igrejinha de interior, os pilotos encararam uma subida, em meio a uma plantação, não muito difícil, mas os "cotovelos" começaram a ficar mais fechados, e, para terminar, quase ao final da montanha, uma sequência de pedras, cuja "atriz" principal era uma de quase 1 metro de altura, começou a separar os "cabra-macho" dos "pé-rapado", ou seja, os "hômi" dos "menino", como se diz mais ao sul do país. Somente os 5 primeiros pilotos da Master passaram sem problemas pelo local. Os demais tiveram que enfrentar uma longa fila, que chegou a ter mais de 40 motos, esperando os "rôias" desagarrarem. O problema é que o pessoal não se ajudava... ninguém descia da moto para ajudar o próximo... e assim a demora era maior. O organizador da prova, "Cordão", estava lá, tirando fotos. Ao ser solicitado por um piloto para uma "ajudinha", Cordão disse: "Vixe hômi, pede ajuda pra esses cabra molenga tudo parado aí atrás, só zoiando! Hoje eu sou só fotógrafo". ALiás, no mesmo local havia alguns célebres membros da imprensa nacional, entre eles Quinho Caldas, editor da Revista Moto!, que se divertia com a dificuldade apresentada no trecho.

Após este trecho, a prova passou por vários lugarejos, seguindo já em direção ao norte do estado, atravessando a fronteira e chegando ao Piauí. O clima continuou úmido, e o piso um pouco escorregadio, merecia atenção redobrada, já que algumas médias estavam bem mais altas, chegando aos 66km por hora. Já na segunda metade da prova, ainda no estado do Ceará, os pilotos do Cerapió passaram pela cidade de Viçosa do Ceará, onde puderam desfrutar de uma deliciosa mesa de frutas e apreciar o visual maravilhoso do alto da serra. Já no meio da tarde, após quase 400 km, os pilotos chegaram à cidade de Parnaíba, no litoral norte do Piauí, para o pernoite. O dia seguinte seria para descanso e reparo nas motos, pois, a etapa mais longa estava por vir.

TERCEIRO DIA - PARNAÍBA (PI)

Foi um dia dedicado ao reparo físico dos pilotos, afinal, mais da metade da prova já tinha sido realizada. Alguns aproveitaram para fazer um passeio no Delta do Parnaíba, complexo formado pelos braços do Rio Parnaíba, que deságua no Oceano Atlântico, com centenas de mangues, e uma riquíssima fauna, onde se podia ver desde macacos, caranguejos, camaleões, peixes de "quatro olhos", até aves já em processo de extinção. A cidade também é rica em artesanato, e possui um centro gastronômico e cultural bastante interessante, onde o Jeca se encontrou com uma lenda do Piuaí, o "Cabeça de Cuia".

QUARTO DIA - PARNAÍBA (PI) a TERESINA (PI)

Apesar da prova largar e chegar no Piauí, a maior parte do percurso rolou mesmo no estado do Maranhão. Povos diferente e culturas também diversas, outro fato que enriquece muito quem participa do Cerapió/Piocerá. No entanto, seja onde for, os pilotos são recebidos sempre com carinho. Este terceiro dia de prova foi o mais longo de todos, e um verdadeiro teste de resistência, pois foram mais de 500km desde a largada em Parnaíba até a chegada à capital do estado. Foi um dia com velocidades ainda mais altas, mas perfeitamente possíveis de serem cumpridas, o que gerou um outro ponto positivo na prova: o baixo número de acidentes, geralmente provocados por distração ou imperícia dos próprios pilotos. Como em todos os dias anteriores, foi realizado um Teste Especial de Velocidade, que é mais um tempero dessa sensacional prova. Nos testes de velocidade, vale ressaltar a extrema preocupação que a organização teve em fechar os trechos, com o auxílio da Polícia Militar. Em alguns testes, chegava-se a ter quase 20 piliciais, garantindo a segurança dos pilotos, que chegavam a atingir 140km por hora. A chegada a Teresina foi debaixo de chuva, tão forte que atrapalhou o show preparado para recepcionar os pilotos. A premiação aconteceu no dia seguinte, domingo, em um luxuoso hotel da capital piauiense. Na Master, Sandro Hoffman conquistou o Tri-Campeonato, mesmo feito atingido pelo baiano Eduardo "Aurora", na Over 40. Veja quem se deu bem no  Cerapió 2004. 

 

MASTER (15 pilotos inscritos)

1          Sandro Hoffmann/ES   

2          Josevam Barreto/BA    

3          Marcelo Bombana/RJ   

4          Claúdio Sérgio/PI         

5          Sérgio Vieira/RN          

 

SÊNIOR (18 pilotos inscritos)

1          Milton César/BA           

2          Harley Leonardo/MG    

3          Alexandre Siqueira/PE 

4          Marco Pólo/PE            

5          Ralisom Pezão/MG      

 

JÚNIOR (30 pilotos inscritos)

1          Daniel Lima/BA            

2          George Pierre/PB         

3          Icaru Sakuyoshi/SP     

4          Helber Marini/SP          

5          Luciano Queiroz/BA     

 

NOVATOS (60 pilotos inscritos)

1          Arnoldo Junior/CE        

2          Lúcio Silva/MA            

3          Marcelo Marodim/BA   

4          Wesley Albuquerque/Al

5          Ricardo Piau/RN          

OVER (13 pilotos inscritos)

1          Eduardo Aurora/BA      

2          Peter Ferreira/PI           

3          Álvaro Weynw/CE        

4          Olyntho Correia/CE      

5          João Carlos/SP           

 

EXECUTIVO (19 pilotos inscritos)

1          Solon Mendes/CE        

2          Valdson Alencar/CE     

3          Teófilo de Souza/PE    

4          Nelson Naozo/CE        

5          Tércio Marins/MA         

 

JECA-COMENTÁRIOS FINAIS

A qualidade da prova de motos do Cerapió foi garantida pela experiência dos 17 anos de organização, adquirida por Ehlich Cordão, e também pela supervisão técnica do Diretor de Regularidade da CBM, o baiano Rui Nunes. O resultado é que os pilotos tiveram um enduro consistente, que premiou, ao final, realmente os melhores de cada categoria. Que venha o Piocerá 2005, e se você deseja participar desta super prova, visite o site: www.cerapio.com.br

Mais fotos, clique aqui