Jorge Negretti, guerreiro maravilha

Ele tinha tudo para um final de semanal inesquecível dentro das pistas, mas as coisas não aconteceram como previsto...

Jorge Negretti, guerreiro maravilha






Por Valdecy Costa Fotos Cezinha


Após 12 anos, lá estava ele de volta às origens, dentro das pistas e participando da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross 2020. O evento foi realizado na cidade catarinense de Penha, mais precisamente no Beto Carrero Park.  

Infelizmente Negretti sofreu forte queda após um salto, levando a fraturas na mão, perna e deslocamento da bacia. O “Loirinho Maravilha”, apelido recebido do locutor Zezito, no início dos anos 80, recebeu os primeiros socorros ainda na pista e depois foi transferido para um hospital, onde recebeu todo atendimento necessário e passou por procedimentos cirúrgicos. 

Passados alguns dias de recuperação, ele nos recebeu e como sempre, gentilmente respondeu perguntas da Revista Pró Moto sobre o que aconteceu e quais são seus planos futuros. 

PRÓ MOTO: Você se recorda de como foi sua queda? Poderia nos contar?

Jorge Negretti: Houve a mudança de horário no regulamento, eu não sabia e por isso entrei atrasado e perdi o direito de escolher o meu lugar no grid. Entrei direto para volta de reconhecimento da pista sabendo que eu iria largar numa posição bem atrás. Neste momento tinha dois problemas, um que pela primeira vez eu estava correndo com uma moto muito leve, uma 250CC. Segundo: escolher o local de largada no grid faz uma diferença enorme. Eu já havia feito isso durante a volta de apresentação, quando tinha feito o trajeto da pista diferente do traçado que eu já havia treinado, com o objetivo de identificar quais eram os melhores pontos para ultrapassagens.

CONTINUE ESSA LEITURA, CLIQUE AQUI E TENHA ACESSO GRATUITO A REVISTA PRÓ MOTO EDIÇÃO DE NOVEMBRO, #173