Kawasaki mais forte no Brasil

Estimulada por concessionário local, fabricante japonesa reforça presença no País, com novos modelos, direcionados também ao público de trilha.

Kawasaki mais forte no Brasil






A Kawasaki pode entrar em outro nível no off-road, com uma alteração aparentemente bem simples: colocar a letra “X” em dois dos seus modelos. Pode parecer pouco, mas como dizia o Jeca-Vô: “Para um bom entendedor, um pinto é letra.”

Esta história tem três lados, sendo o primeiro no exterior e os demais aqui no Brasil. O ponto de partida foi a apresentação dos modelos KX 250X e KX 450X, opções da fabricante japonesa para atender seus clientes que praticam cross country, ou seja, curtem as motos com estilo motocross, adaptadas para uso nas trilhas e competições de enduro.

Trata-se do mesmo movimento realizado pela Honda, ao apresentar alguns anos atrás os modelos CRF 250RX e CRF 450RX. No caso da Kawasaki, vale informar que a empresa resolveu retirar a letra “F”, já que não fabrica mais os motores dois tempos nestas cilindradas informadas.

O segundo ponto importante nesta história aconteceu no Brasil, quando uma das principais revendas da marca no País fez um pedido grande de motos destes novos modelos. O pedido desta única loja era maior do que a fábrica previa trazer para todo o Brasil em 2021. Aparentemente isto acendeu um radar interno e chamou a atenção para o potencial que pode ser explorado pela empresa no nosso País.

Nos últimos anos a Kawasaki tem realizado um trabalho modesto, que aparentemente é inferior ao potencial que o nome pode alcançar por aqui. Se bem que esta situação de um concessionário solicitar mais motos que o previsto de entrega pela fábrica não é exclusividade verde, acontece com praticamente todos os demais.

Fato é que as KX 250 e 450 (de cross), custam menos que suas concorrentes no Brasil e a chegada dos modelos “X”, por menos de R$ 55 mil, certamente agradarão aos clientes, a maioria deles sem condições de pagar os 70 mil reais que estão sendo cobrados pelas motos europeias. E ao mesmo tempo, a Honda chega com poucas unidades dos modelos CRF RX, também com custo baixo, mas em quantidade insuficiente para atender ao mercado.

Dados extra oficiais dão conta que a Kawasaki estará chegando com 300 unidades destes novos modelos, o que deve ter um certo impacto na rede de motos off-road das trilhas e corridas brasileiras.

CONTINUE ESSA LEITURA GRÁTIS NA EDIÇÃO 174, MÊS DE DEZEMBRO DA PRÓ MOTO OFF ROAD

CLIQUE AQUI

BAIXE O APP GRÁTIS, CLIQUE AQUI