TESTE: Harley Davidson - Low Rider S

Conheça uma cruiser de alto desempenho e com customização de fábrica.

TESTE: Harley Davidson - Low Rider S






Por Matheus Oliveira

Assim como as outras Harley Davidson’s que testei, a Low Rider S tem presença marcante e chama atenção nas ruas.

Logo no primeiro dia, eu estava pilotando tranquilamente na rodovia, quando de repente uma chuva torrencial chegou. Sem lugar seguro para parar a moto, continuei. Percebi que, devido aos seus grandes pneus e a seu peso (e somando o meu peso corporal), a moto se mostrou estável, mesmo com muita água no asfalto.

De certo modo, a redução da velocidade foi imprescindível. Manter uma distância de segurança do veículo da frente é mais do que recomendado. Essas são duas dicas que nem precisaria estar citando. Porém, cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

A moto tem um estilo clássico da Costa Oeste americana, para aqueles pilotos rebeldes, com uma pilotagem agressiva e seus braços para a frente com seu guidão Drag Bar. Porém a moto não perde sua dirigibilidade nas estradas. O motor V-Twin Milwaukee-Eigh 114 com 1868cc, com o característico som puro, com um ronco que alegra a alma.

Tem a posição de pilotagem na vertical e com pedais do piloto centralizados e ainda conta com uma espécie de bolha, ou melhor, uma mini carenagem dianteira em volta do farol.

O quadro preserva as linhas clássicas da Softail, com o design leve e a rigidez resultam em uma pilotagem responsiva. A inclinação do quadro do modelo Low Rider S foi reduzido de 30 para 28 graus em comparação com a Low Rider padrão.

CONTINUE ESSA LEITURA, CLIQUE AQUI

*Leitura gratuita