A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL

Grandes viagens fazem parte das nossas vidas, desde crianças, seja para visitar uma praia tão sonhada, ou para rever parentes que moram “logo ali”.

A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL
A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL
A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL
A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL
A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL
A AFRICA DESCOBRIU O BRASIL

  Advertisement


O Brasil é rico em montanhas, rios e visuais maravilhosos. Uma boa companhia deixa tudo ainda mais interessante e inesquecível. E nossa companheira, neste caso, é a nova Honda Africa Twin, tão moderna e segura, que permite a realização de um roteiro fantástico, como o que preparamos a seguir.

Projetada para infinitas possibilidades, o modelo conta com tanque de combustível de maior capacidade, suspensão com maior curso, protetor de motor mais largo, protetor de carenagem e tanque, pedaleiras e para-brisa maiores e banco plano.

RECEITA

Separe alguns dias na agenda, alguns reais no bolso (ou no cartão de crédito), uma dose de disposição e prepare-se para esta aventura. Vamos considerar, para fins de referência, que você está começando sua viagem em São Paulo, capital. Portanto, se não for este o seu caso, programe seu início de viagem, desde sua cidade até a capital paulistana.

 

DIA 1 – CURITIBA

Você terá pela frente 400 quilômetros até a Capital Paranaense. A estrada já foi das mais perigosas do Brasil, mas atualmente, com grande parte do trecho duplicado, já não coloca medo em ninguém. Claro, há de ficar atento aos caminhões, pois são muitos, por todo o trajeto.

Com a excelente autonomia da Africa Twin Adventure Sports, ligeiramente superior a 20 km/l, você não precisará parar para abastecimento durante a viagem, pois seu tanque de 24,2 litros (5 litros a mais que a Africa Twin Standard) é suficiente para facilmente percorrer 500 quilômetros.

O conjunto oferecido pela Honda para este modelo foi desenvolvido para maximizar a experiência em viagens, otimizando o conforto sem abrir mão do DNA off-road. A posição de pilotagem é levemente mais elevada em relação ao modelo convencional, proporcionando melhor ergonomia e evitando o cansaço em jornadas longas.

Este primeiro dia será muito fácil, recomendamos que pegue estrada em torno das 9 horas da manhã. Assim poderá almoçar já em Curitiba, descansar pelo início da tarde e seguir para conhecer uma das cidades mais bem planejadas do Brasil. Há pontos belíssimos, como a Ópera de Arame, o Jardim Botânico, o Museu Oscar Niemeyer e dezenas de parques. Recomendamos o Parque Tanguá. À noite vá saborear um excelente jantar nos restaurantes do bairro Batel, point gastronômico da cidade.   Advertisement

DIA 2 – VAI E VOLTA, OU NÃO...

Curitiba serve de base para vários passeios de aventura e de ecoturismo. Caso queira descansar a moto no hotel, poderá descer a Serra do Mar indo até Morretes, de trem. É um passeio tradicional, passando por paisagens belíssimas. Em Morretes, você pode praticar a canoagem no Rio Nhundiaquara. Outra opção é seguir até Antonina, às margens da baía de Paranaguá, e praticar o rafting no rio Cachoeira (indicado entre os meses de novembro e março).

Caso prefira passear com sua Africa Twin, vá por 120 quilômetros até Pontal do Sul e pegue um barco para a Ilha do Mel. Ela conta com três interessantes pontos turísticos: o Farol das Conchas, a Fortaleza dos Prazeres e a Gruta das Encantadas. Em tempos de redes sociais, são o cenário perfeito para você mostrar aos seus amigos a bela viagem que está realizando. Mas vale lembrar, você terá que ir de barco para a Ilha de deixar a moto no continente.

A próxima cidade deste roteiro é Joinville, já em Santa Catarina. Neste segundo dia você pode, portanto, optar por um retorno a Curitiba, com pernoite na capital paranaense, pegando estrada no dia seguinte, logo cedo. Ou se estiver com tempo e disposição, pegar apenas 130 quilômetros até a cidade catarinense.

E se você já tinha optado por ir de moto até Pontal do Sul, poderá seguir por 120 quilômetros até Joinville. O mais importante é que você e sua Africa Twin estarão lá no dia número 3 desta viagem.

O motor bicilíndrico paralelo de 999cc com sistema de comandos Unicam é compacto e leve. Oferece uma performance superior, graças ao desenho do cilindro e do cabeçote, derivados de décadas de desenvolvimento no Rally Dakar. Potência e leveza em um só conjunto. Seu câmbio de 6 marchas com embreagem deslizante, oferece uma pilotagem suave e progressiva, sem abrir mão da segurança e performance. O sistema atua para deixar as subidas de marcha mais leves e suavizar as reduções bruscas.

 

DIA 3 – JOINVILLE

Às margens da BR-101, Joinville é uma das maiores cidades do Estado catarinense e ao contrário do que se pensa, há muito turismo a ser feito por lá.

Com rodas raiadas de 21 polegadas na dianteira e 18 na traseira, sua Africa Twin Adventure Sports oferece maior absorção de impactos e superar as dificuldades em diferentes tipos de terreno. Na dianteira, suspensão Showa invertida, com 45mm de diâmetro e ajustes de compressão e retorno. A suspensão traseira, além de contar com ajustes de carga facilmente personalizáveis, oferece 240 mm de curso.

Já em Joinville, você pode visitar a Escola Bolshoi, a única unidade da aclamada Escola Bolshoi fora da Rússia, comandada por Ludmila Sinelnikova. A dança está no DNA da cidade, que realiza em julho, o Festival de Dança de Joinville, o maior do mundo, atraindo a cada edição, quase 10 mil bailarinos. Para visitar a escola é preciso agendar pelo telefone (47) 3422-4070 ou no email recepcao@escolabolshoi.com.br

Mas o grande objetivo de chegarmos aqui nesta cidade foi mesmo leva-lo a um excelente Turismo Rural, onde poderá aproveitar o DNA aventureiro de sua Africa Twin. O museu da família Kersten é o local escolhido para você passar boa parte do seu dia. Você vai pegar o roteiro turístico da Estrada Bonita, com apenas 5 km asfaltados, iniciando-se no km 20 da BR-101, ao lado do Restaurante Grün Wald, que serve um bufê de pratos alemães. Logo na sequência, a propriedade da família Kersten mostra o motivo de ser o principal atrativo de todos os roteiros: lá funciona um museu rural, onde os visitantes podem passear de trator e ainda degustar e comprar produtos coloniais. O tour passa ainda por um pesqueiro, antes de chegar ao Restaurante da Tia Martha, onde é preparado um café colonial aos fins de semana.

Outra opção é o roteiro da Estrada Dona Francisca, que tem como destaques a pastelaria Max Moppi com seus quase 200 recheios, a Cachoeira do Rio da Prata e a simpática Ponte Coberta Friederich Piske.

Antes de retornar ao hotel, vá ao Mirante do Morro Boa Vista. A 250 metros de altitude, mais 14 metros da plataforma de observação, o mirante é acessado por escadaria ou elevador. O giro de 360º possibilita observar a Baía da Babitonga, com a Ilha de São Francisco do Sul, toda a área central de Joinville e ainda, bem ao longe, as montanhas da Serra do Mar.

 

DIA 4 – O DIA DA AVENTURA

Se você tem uma Africa Twin, deseja mesmo usufruir dela para conhecer lugares que não estão no roteiro tradicional do turista comum. Isto porque as motos Big Trail levam seus proprietários a lugares diferenciados, de forma rápida. Por isso indicamos que você abasteça sua moto e siga rumo a São Bento do Sul, ainda no estado de Santa Catarina. Este primeiro trecho terá 76,6 quilômetros, passando pelo belíssimo Mirante da Serra Dona Francisca. A primeira parte do trecho é com curvas suaves, no sobe e desce da serra.

Com um sistema de freios ABS, equipado com 2 pinças de 2 pistões na dianteira e disco de 310mm, a Africa Twin oferece máxima sensibilidade na frenagem mesmo em superfícies de pouca aderência. Na roda traseira, o disco de 256mm e a possibilidade de desativar o freio ABS para pilotagem off-road, tornam tudo ainda mais divertido. Os quilômetros finais até São Bento são de pura reta.

Após um lanche pela pequena cidade, mantenha rumo oeste, até Mafra, já à beira do Rio Negro, que faz a divisa dos estados de Santa Catarina e Paraná. Você seguirá pela PR-427, sentido norte, até Ponta Grossa, totalizando 295 quilômetros neste dia. Ao todo serão 5 horas de viagem, portanto saia por volta das 9 horas da manhã de Joinville, para que tenha um deslocamento tranquilo até o ponto de destino. Novamente lembrando que não será necessário reabastecer ao longo da viagem.

A dica é comer um lanche rápido ao invés de almoçar neste dia. Isto para que você tenha tempo de visitar uma das três (ou as três!!!) opções a seguir:

  • Cachoeira São Jorge
  • Capão da Onça
  • Parque Estadual de Vila Velha (Buraco do Padre).

 

A Cachoeira do Rio São Jorge é uma maravilha. É uma propriedade particular, que oferece toda a estrutura necessária. Tem banheiros, bons quiosques para churrascos, espaço para camping, lanchonete e amplo estacionamento.

O Capão da Onça também é muito legal para quem curte aproveitar as belezas naturais, algo que vem de encontro à sua Africa Twin. Também é uma propriedade particular, que conta com corredeiras e algumas cachoeiras pequenas. Junto das cachoeiras, formam-se piscinas naturais que te convidam para um banho. Tem ótima estrutura, com quiosques, churrasqueiras, banheiros e estacionamento amplo. Para chegar é bem fácil, com direito a uma estrada de chão muito bem conservada.

Se optar por dormir na cidade, vá jantar próximo à Praça Barão do Rio Branco, bem tranquila, boa para sentar, apreciar o movimento e relaxar. Nela estão o Monumento Tiradentes, o palco aberto e a Casa do Artesão. Poderá visitar a Catedral Sant’Ana, de arquitetura única e que chama a atenção. Seu estilo, como o próprio povo de Ponta Grossa fala, lembra um pavão.

 

DIA 5 – CONTINUA O DESCOBRIMENTO

Foram 4 dias que te levaram ao interior do Brasil, de uma forma que só uma moto Big Trail poderia fazer. Mas ainda não terminou. Iniciaremos o retorno por um trajeto muito interessante. O ideal é que você tenha deixado sua Africa Twin abastecida na noite anterior.

Prepare-se para sair novamente as 9 horas da manhã. Você terá 276 quilômetros e pouco mais de 4 horas de viagem. Vale lembrar que o modelo 2020 da moto ganhou um novo painel de LCD com tela unificada, que traz todas as informações a bordo, além de aquecimento de manopla e um conjunto tecnológico, que oferecem mais praticidade na hora de pilotar. 

Com 7 níveis de controle, além do modo desligado, o HSTC permite que o piloto configure o torque da motocicleta com máxima precisão, de acordo com o tipo de terreno e estilo de pilotagem, otimizando a tração e prevenindo que a roda deslize. Os ajustes automáticos de pilotagem tornam a vida a bordo ainda mais fácil. Ajustando potência, freio motor e controle de tração de forma integrada, o piloto conta com três modos já configurados (Tour, Urban e Gravel) e um customizável (User), permitindo que você ajuste a Adventure Sports de acordo com a sua necessidade.

Chegou a hora de viajar, portanto pegue a estrada PR-151 em direção a Piraí do Sul, que passa por dentro de uma Floresta Nacional, área de preservação permanente e de clima super agradável. Após 74 quilômetros de viagem e uma parada em Piraí para um cafezinho regional, siga em direção a Jaguarialva, Wenceslau Braz e Itaí. A pequena cidade fica às margens da Represa de Jurumirim (Rio Paranapanema).

As atividades por ali podem ser desde a contemplação do mundaréu de água por todos os lados, até a prática de esportes náuticos variados. À noite, a cidade oferece o descanso necessário para quem tem pela frente o último dia da viagem.

 

DIA 6 – ESTAMOS DE VOLTA

Apenas 300 quilômetros separam você de São Paulo agora, por estradas mais rápidas. Em menos de 4 horas estará em casa, num roteiro que passa por Avaré, Porangaba, Boituva, Araçariguama e Barueri, antes de entrar na capital paulistana.

Neste dia você utilizará o modo Tour de pilotagem, que deixa a Africa Twin pronta para viajar, com alta entrega de potência, tração controlada e freio motor ajustado, garantindo maior segurança. Uma configuração que permite sentir a força da motocicleta.

Chegando a São Paulo, poderá retornar ao modo Urban, no qual a motocicleta se ajusta para uma maior economia de combustível, entrega de potência mais suave, além de controle de tração atuante para maior segurança na cidade.

E certamente, nos dias anteriores você deve ter utilizado o modo Gravel em alguns momentos. Esta pré programação garante total segurança em superfícies com menor aderência, ajustando a motocicleta para um regime de entrega e potência mais conservador e maior freio motor, permitindo controle e dirigibilidade em condições extremas.

À medida que o interior do país fica para trás, o trânsito vai se acentuando e tornando-se mais denso. É uma transição perfeita, que o trará de volta aos dias comuns. Nada mais justo e merecido, para quem realizou uma viagem curta de uma semana, com sensações equivalentes às de um mês de férias.

CLIQUE PARA SABER MAIS

QUANDO SERÁ A PRÓXIMA AVENTURA?

Enfim, levamos você por uma viagem de 1.426 quilômetros, sempre com deslocamentos curtos e médios, proporcionando que você consiga viajar um pouco cada dia e curtir as cidades por onde for passar. Com apenas 3 tanques de combustível você conheceu um trecho pouco explorado em nosso Brasilzão.

Esperamos que tenha gostado e continue acompanhando nossas sugestões de roteiro de viagem, aqui na Revista Pró Moto.

Até a próxima então.

  Advertisement