Condições limitam testes no Catar

Bandeira vermelha, poeira e a areia invadiram a pista no último dia de testes

Condições limitam testes no Catar
Foto: Honda Racing Corporation






Após completar oito voltas no último dia, Pol Espargaro terminou o último dia de testes em quinto lugar com um 2’01.303 - desta vez a sete segundos da sua melhor volta no teste. Apesar do final sem brilho, Espargaró e toda a Repsol Honda Team sairão muito satisfeitos com as bases que construíram ao longo dos cinco dias.

Stefan Bradl entrou na pista depois que a bandeira vermelha permitiu que a pista fosse limpa. Tal como Espargaro, as suas voltas foram limitadas e Bradl estabeleceu o melhor tempo de 1m49,432s para terminar o dia em segundo.

A ação recomeça no Circuito Internacional de Losail na sexta-feira, 26 de março, com o Treino Livre 1 às 15:40, hora local, marca o início oficial da temporada de 2021 do Campeonato do Mundo de MotoGP.

Pol Espargaro: “Eu realmente não chamaria o que fizemos de voltas, mas esta é a situação para todos. De qualquer forma, com apenas quatro dias de testes nós nos saímos muito bem. Sinto-me bastante preparado para a primeira corrida e fazer isso em tão pouco tempo contra pilotos que já andam de motocicleta há muito tempo, é um grande alívio. Eu me adaptei bem a Honda. Quero agradecer a toda a Repsol Honda Team pelo trabalho realizado nestes dias. A equipe tem sido ótima e aproveitamos ao máximo o tempo de teste que tivemos. Agora veremos o que a temporada nos trará”.

Stefan Bradl: “Infelizmente hoje não há muito o que falar porque o tempo e a areia não nos deixaram tranquilos, as condições significavam que não podíamos tentar nada. Há seis dias com a moto aqui, começou muito bem, mas tivemos alguns momentos difíceis no final - acontece. Trabalhamos dentro do planejado e agora os engenheiros têm muitos dados bons para estudar. Poderíamos estar felizes porque a moto está a funcionar bem e penso que a Honda está em boa posição para a primeira corrida”.

  

Crédito: Honda Racing Corporation