Entrevista com a lenda, Graham Jarvis

Piloto fala sobre a nova função de gerente de equipe e seus projetos futuros

Entrevista com a lenda, Graham Jarvis
Foto: Future7Media






A lenda do Hard Enduro, piloto da Rockstar Husqvarna e agora Diretor da Equipe de Corrida Graham Jarvis, fala sobre sua nova equipe Jarvis Husqvarna Racing e o novo Campeonato Mundial FIM Hard Enduro.

Enquanto o mundo do enduro extremo de 2021 na Europa lentamente sai da cama e toma seu primeiro gole de café nesta temporada ainda restrita pela Covid, Graham Jarvis está enfurnado em sua base espanhola para o inverno, treinando e evitando o clima britânico em sua terra natal.

Mas o multivencedor de Erzbergrodeo, Romaniacs e outros inúmeros grandes eventos extremos ao redor do mundo, ele começa a exercer uma nova função, gerente de equipe da nova equipe Jarvis Husqvarna Racing.

O piloto da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing assinou um novo contrato com a equipe de enduro juntamente com Billy Bolt e Alfredo Gomez, mas agora também assumirá uma nova função no comando de uma equipe composta de cinco jovens pilotos no campeonato de Hard Enduro.

 

Entrevista com Graham para saber mais sobre o novo projeto

Oi Graham, onde você está agora? Em casa, na Espanha, esperando o início da temporada?

Sim, estou aqui na Espanha, pedalando, fazendo novas trilhas, treinando e me preparando para quando acabarem as restrições de viagem e nós pudermos trazer as primeiras pessoas para passeios e escolas exclusivas.

Fale sobre sua nova equipe Jarvis Husqvarna Racing, há quanto tempo ela está no planejamento?

Mencionei isso a Husqvarna nos últimos anos, disse qual seriam meus planos em relação a equipe e ela por sua vez, adotou minhas ideias que tem como objetivo atender aos jovens pilotos, aqueles que estão abaixo das equipes de fábrica e não tem equipe, nem mesmo os times juvenis ou algo parecido. “Pol Tarres” tinha sua equipe particular, mas, fora isso, nada acontece e é difícil para qualquer um entrar quando há apenas uma equipe de fábrica da Husqvarna. Especialmente agora que as fábricas estão trabalhando mais com motos e mecânicos de fábrica, a diferença está aumentando. O objetivo é ajudar aos pilotos que estão lá, mas que, até agora, não tiveram oportunidade e certamente faltam muitas oportunidades.

 Será que eles serão como uma mini equipe Husqvarna de fábrica? Como funcionará e como será?

 Sim, é esse o plano. Será tudo a mesma imagem com a Rockstar Energy, mas eles usarão o equipamento da minha equipe, então eles usarão o Jarvis Race Gear e então, esperançosamente, alguns outros produtos com o nome Jarvis que temos em desenvolvimento. Esta tudo se encaixando e nas próximas semanas e teremos mais novidades,  então fiquem ligados no GrahamJarvis.org! [risos].

Cinco pilotos, são muitos para uma equipe de enduro, a Husqvarna tradicionalmente os mantém pequenos em comparação, por que cinco?

Acho que é muito bom ter esta mistura de talentos. Desta forma, podemos também fazer com que os pilotos possam representar a equipe em diferentes corridas e em diferentes países. Muitos países têm seus próprios campeonatos agora, então podemos expandir ainda mais e, claro, dar treinamentos em diferentes países, o que faz parte de um plano ainda maior.

Como você vai trabalhar com esses pilotos durante a temporada? Centros de treinamento na sede da Jarvis?

Sim, esse é um ponto chave. Eles podem vir para a Espanha e ter uma boa base para treinar, principalmente nesta época do ano. Precisamos de uma boa base para treinar no inverno. Além disso, será ótimo para acertarmos as motocicletas e toda a logística. No momento eles participam das corridas sozinhos, a partir de agora podemos organizá-los com mais facilidade. O programa de treinamento também pode ser melhorado e ao mesmo tempo, posso aconselhá-los sobre as como aplicar as técnicas corretas ou o que mais  precisarem.

 Então, haverá um transporte oficial da Jarvis Racing Team durante as grandes corridas?

 Sim, teremos.

 E sobre as corridas em si, como você vai dividir o seu tempo entre o seu trabalho e a equipe?

Uma corrida como a do Romaniacs pode ser uma época agitada ... mas tem algumas pessoas que podem me ajudar com a equipe. Eles são experientes e trabalham na organização das viagens, dos equipamentos de corrida e outras coisas mais, então com certeza estarão sempre juntos e fazendo parte da equipe. Não vamos dispor de muito dinheiro, então os mecânicos de caminhões é que nos ajudam em algum momento, se necessário. Os pilotos é que financiam a sua chegada, mas esperamos ter uma pequena equipe para poder apoia-los. Mas realmente só pelo treino e pela preparação, fez sentido para eles, não foi difícil convencê-los.

Então, como você vai se adaptar a ser um mentor e um gerente?

Bom, já comecei com o Teo (Kabakchiev), no momento ele está comigo aqui na Espanha, ele não está fazendo nenhuma preparação para o SuperEnduro, parece que não vai haver uma temporada indoor, então ele está apenas desenvolvendo a técnica habilidades aqui em Jarvisland.

Você sempre teve um plano de gestão de equipe?

É uma visão a longo prazo que espero transformar em algo assim que eu decidir parar de correr ou quando os resultados começarem a cair.

Então, você ficará com sua equipe ou poderia liderar a equipe da fábrica um dia?

Estou potencialmente treinando alguém para assumir o meu lugar, por isso é uma boa imagem para a Husqvarna e para todos. Meu time pode acabar me vencendo, sabe? Pode parecer uma situação estranha para mim treiná-los, mas também quero vencê-los para que funcione para todos. No momento, é bom treinar com o Teo, porque podemos pressionar uns aos outros e espero que seja assim no futuro. Você terá personagens diferentes para lidar com todos os motociclistas. Cada um é bom em determinado ponto e outro que precisa ser melhorado e com isso aprender com as experiências.

Seu próprio contrato com a Rockstar Husqvarna continua a rolar ano após ano ... a nova série de hard Enduro FIM é o foco principal?

Sim, é isso. Obviamente, sendo um campeonato mundial extremo, estarei um pouco mais comprometido com o campeonato do que com a série inteira do WESS. Isso me dá um pouco mais de foco em um campeonato.

O que você acha da mudança do WESS para o FIM Hard Enduro World Championship?

Acho que é o que todos queriam, os fãs e os pilotos. Faz sentido que seja esse o caso agora.

Então o campeonato é seu principal objetivo? E então outros eventos como Sea to Sky ...

Sim, isso mais os cursos e as viagens com a equipe. Dependendo do país e de suas restrições,  as corridas ainda estão no ar, eu acho. Até Lagares está incerto no momento.

 

Crédito: Enduro 21