Novidade no motociclismo

Brasileiro de Supermoto renasce com chegada de novo diretor

Novidade no motociclismo
Foto: Ricardo Santos






A modalidade que cresce cada vez mais nas pistas dos kartódromos do Rio de Janeiro vai ganhar ainda mais destaque a nível nacional. No último dia 11 a CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) nomeou seu novo diretor de Supermoto, o carioca Claudio Sarmento, mais conhecido por “Bicudo”. Ele será o responsável pelo resgate e desenvolvimento do Campeonato Brasileiro de Supermoto, parado desde 2018.

“O supermoto é uma paixão antiga minha. Sou particularmente fã da modalidade que surgiu na Califórnia, ainda na década de 70, como uma espécie de ‘corrida maluca’ entre pilotos de motocross e motovelocidade, para que pudessem eleger o melhor piloto da temporada”, conta o novo diretor.

Bicudo atuou no resgate do Campeonato Estadual de Motovelocidade do Estado do Rio de Janeiro e, agora, atua como diretor de motovelocidade da FEMERJ (Federação de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro). Ele carrega grandes competições na bagagem, como os Campeonatos de Motovelocidade que aconteceram entre 2009 e 2011, no extinto Autódromo de Jacarepaguá, na capital carioca.

O novo integrante de uma das maiores entidades desportivas do país foi “escolhido a dedo” pela presidência, já que terá em suas mãos a incumbência de cuidar de um dos esportes a motor mais apaixonantes do país.

“Conversamos muito sobre o retorno da supermoto as pistas brasileiras e optamos por um formato simples e enxuto, levando em consideração a crise causada pela pandemia do COVID-19, que infelizmente ainda assola nosso país”, explica.

O Campeonato Brasileiro de Supermoto ainda não tem data marcada para seu início, mas Sarmento afirma que as provas estão previstas para acontecer no segundo semestre deste ano e serão em quatro ou cinco etapas. “É uma forma de iniciar os trabalhos e preparar o terreno para temporada pós-pandemia de 2022”, finaliza.

 

Crédito: Confederação Brasileira de Motociclismo - CBM