Oliveira TOP 11 no MotoGP

Clima quente foi um desafio para os pilotos no Grande Prêmio Red Bull de España

Oliveira TOP 11 no MotoGP
Fotos: KTM Press Service






A Red Bull KTM Factory Racing emergiu de 25 voltas de ação tensa e ensolarada do MotoGP no Circuito de Jerez - Angel Nieto com três motos nos pontos e Miguel Oliveira em 11º lugar na quarta rodada da temporada.

  • Oliveira quase chega ao top ten depois de lançar a partir de 16º no grid
  • Duas quedas para Brad Binder, que mostrou velocidade promissora no sábado e no aquecimento matinal
  • Ambos os pilotos da Tech3 KTM Factory Racing marcam pontos no campeonato

Por 35 anos, o Circuito de Jerez - Angel Nieto não foi apenas um dos principais locais do Grande Prêmio para as corridas de motociclismo, mas também um layout popular e útil para testes. A familiaridade do traçado de 4,4 km proporcionou alguma ação próxima e fascinante ao longo dos treinos e qualificação, muitas vezes com centésimos de segundo dividindo a maior parte do grid.

O Grande Prêmio Red Bull de España começou em condições ensolaradas e quentes, mas em temperaturas significativamente mais baixas em comparação com o "queimador" de 40 graus de 2020. Brad Binder fez uma largada razoável do 11º no grid e da quarta linha, mas perdeu a tração das rodas dianteiras para a segunda volta da segunda volta e caiu. Ele foi capaz de remontar e tentou pegar o grupo no esforço de salvar alguns pontos, mas outra queda em baixa velocidade na Curva 13 encerrou seu dia.

Miguel Oliveira teve de suportar a dificuldade de aderência e a trepidação de ter de ultrapassar a 16ª posição do grid para chegar à frente do quarteto KTM. O português estava a três segundos dos dez primeiros ao final da distância.

A Tech3 KTM Factory Racing começou no domingo anunciando a renovação da sua nova parceria de cinco anos com a KTM para garantir quatro KTM RC16 na grelha de MotoGP até 2026. Danilo Petrucci foi uma presença constante entre os quinze primeiros em pontos de Grande Prêmio e cruzou a linha de chegada para garantir 2 no 14º. Iker Lecuona, o piloto mais jovem em pista, ficou atrás de seu companheiro de equipe em 15º.

O MotoGP fica em Jerez para um teste IRTA de um dia na segunda-feira e viaja ao lado do histórico circuito de Le Mans para o Shark Grand Prix de France no dia 16 de maio.

Miguel Oliveira: “É uma prova difícil para nós. Eu não tinha aderência ou sensação em uma volta. Os pneus começaram a superaquecer, eu não conseguia ir mais rápido e isso bloqueou minha progressão. Tentei manter a calma e limitar os erros para levar a moto ao final da corrida. Quando o nível de combustível baixou, poderia ser um pouco mais competitivo, mas ainda estamos longe de onde queremos estar. Portanto, ainda temos trabalho a fazer para melhorar o pacote deste ano”.

Danilo Petrucci: “Foi uma corrida difícil, mas conseguimos somar alguns pontos. Ainda estamos tentando encontrar uma boa afinação da moto. Temos de conseguir usar este pneu porque somos bastante lentos no início da corrida e conseguimos fazer um bom ritmo mais tarde. Com certeza foi difícil, pois já estávamos bem longe dos caras da frente. Enfim, foi mais uma corrida para ganhar experiência. Amanhã tem a prova aqui e podemos experimentar algo novo. Estamos a trabalhar muito para melhorar a moto e lutar mais perto da frente. Gostaria de agradecer a toda a minha equipe pelo árduo trabalho. Temos que continuar assim e tenho certeza que os resultados virão”.

Iker Lecuona: “Honestamente, estou muito feliz. Trabalhei muito durante a corrida e também a equipe trabalhou muito para melhorar durante este fim de semana e para me ajudar. Estou satisfeito, porque terminei dentro dos pontos e fiz muito para o conseguir. Também aprendi muito durante a corrida porque perdi o contato com o Danilo e consegui recuperar e quase ultrapassá-lo na última volta. Acho que recuperei a confiança para ir rápido”.

Brad Binder: “Senti-me muito bem no aquecimento esta manhã e depois fiz uma boa largada na corrida, mas infelizmente, indo para a Curva 2 na segunda volta, parecia que estava um pouco relaxado demais, freiei no momento errado e quando inclinei para o canto, a frente simplesmente desbotou. É uma boa lição para o futuro ignorar onde você está na matilha e manter suas marcas. Também é decepcionante porque eu tive um bom ritmo durante todo o fim de semana e me senti bem. Poderíamos ter feito um trabalho decente hoje. Desculpem a equipe porque trabalharam bem durante todo o GP e mereceram um resultado”.

Mike Leitner, Red Bull KTM Race Manager: “Não podemos estar felizes com a 11ª posição porque tínhamos alguma expectativa após a boa qualificação de Brad ontem e consistência no aquecimento. Vimos muitas quedas aqui e infelizmente o Brad teve uma na segunda volta, pelo que a sua corrida estava mais ou menos acabada. Foi difícil para o Miguel fazer muito tempo a partir da 16ª posição do grid e ele ficou muito tempo no trânsito. Temos de aceitar o 11º, mas podemos ver o quão alta está a competição e agora temos de trabalhar no teste aqui amanhã para encontrar algo extra com a moto. Foi positivo que três das nossas motos terminassem nos pontos, mesmo que não seja nosso objetivo apenas fazer parte do pelotão. A meta agora tem que ser melhor em Le Mans”.

 

Resultados do Grande Prêmio de MotoGP Red Bull de España 2021

01- Jack Miller (AUS), Ducati 41: 05.602
02- Francesco Bagania (ITA), Ducati +1.912
03- Franco Morbidelli (ITA) Yamaha +2.516
04- Takaaki Nakagami (JPN) Honda +3.206
05- Joan Mir (ESP) Suzuki +4,256
11- Miguel Oliveira (POR), KTM +14.766
14- Danilo Petrucci (ITA), KTM +20.095
15- Iker Lecuona (ESP), KTM +20,277
DNF. Brad Binder (RSA), KTM

  

Crédito: KTM Press Service