Rally Dakar 2021 - Etapa 2

Os competidores percorreram 457 cronometrados com dunas e muita areia, ligando Bisha a Wadi Ad Dawasir.

Rally Dakar 2021 - Etapa 2
Rally Dakar 2021






MOTOS
Como nas edições passadas, a história nos mostra que nas motos os vencedores da etapa anterior, quase sempre, sofrem prejuízos no dia seguinte, por terem de abrir a pista. Da mesma forma, mas inversamente, os concorrentes que sofreram com esta dificuldade na etapa passada, então se beneficiam por lagar no pelotão intermediário, se recuperando dos prejuízos sofridos.
Neste início de disputa da 43ª edição do Dakar, a segunda na Arábia Saudita, não tem sido diferente. Largando após vários adversários devido as dificuldades com a navegação durante a primeira etapa, o pódio desta segunda etapa foi formado pelo espanhol Joan Barreda – Honda, o mais rápido, sua 25ª vitória numa especial do Dakar, seguido pelo seu companheiro de equipe e defensor do título de 2020, o americano Ricky Brabec (+00h 03’ 55”), e o chileno Pablo Quintanilla – Husqvarna (+ 00h 06’ 02”).
Já os ponteiros da etapa anterior perderam bastante tempo. O australiano Toby Price – KTM, bicampeão do Dakar, que havia vencido o dia anterior, foi o primeiro a largar, mas concluiu a segunda etapa com o 28º tempo, cedendo 32 minutos para Barreda.
O argentino Kevin Benavides – Honda, segundo a largar, fez apenas o 24º tempo, perdendo quase 29 minutos. O britânico Sam Sunderland – KTM, vitorioso em 2017, foi o quarto a largar e terminou a etapa na 17ª colocação, com 23 minutos perdidos. Mas quem amargou o maior prejuízo foi o austríaco Mattias Walkner – KTM, vencedor da edição de 2018. Ele perdeu mais de duas horas resolvendo problemas técnicos em sua moto.
Com estes resultados, após duas etapas realizadas a liderança é de Joan Barreda, seguido de Ricky Brabec (+ 00H 06’ 37”) e do piloto de Botsuana Ross Branch – Yamaha (+00h 07’ 16”). Sam Sunderland caiu da 4ª para a 12ª colocação (+ 00h 12’ 50”), Kevin Benavides da vice-liderança para a 13ª posição (+ 00h 15’ 04”) e Toby Price despencou para a 15ª posição (+ 00h 17’ 39”).
O português Joaquim Rodrigues – Hero conquistou um ótimo resultado, foi o 12º colocado na etapa (+ 00h 18’ 08”) e subiu da 23ª para a 17ª colocação (+ 00h 20’ 21”).
Sebastian Bühler – Hero que havia largado no entre os ponteiros no dia anterior, fez uma excelente 13ª colocação (+ 00h 18’ 47”), subindo da 29ª para a 24ª colocação (+ 00h 36’ 00”).
O estreante Rui Gonçalves – Sherco também conquistou posições. Foi o 21º colocado na etapa (+ 00h 27’ 24”) e subiu da 27ª para a 25ª colocação (+ 00h 40’ 09”).
Alexandre Azinhais – KTM manteve sua consistência, terminou a etapa na 63ª posição + 01h 59’ 16”) e subiu para a 62ª colocação na classificação acumulada (+ 03h 45’ 48”).
QUADRICICLOS
Nos quadriciclos o americano Pablo Copetti – Yamaha quebrou a invencibilidade do francês Alexandre Giroud – Yamaha que foi terceiro na etapa. Como no dia anterior, o chileno Giovanni Enrico – Yamaha foi o segundo classificado.
Após duas etapas a liderança da categoria se mantém nas mãos de Alexandre Giroud, seguido de Giovanni Enrico (00h 01’ 09”) e Pablo Copetti (00h 01’ 40”). O argentino Nicolas Cavigliasso – Yamaha, que retorna a prova após a vitória em 2019, vem na quarta colocação (00h 08’ 50”).
SSV
A dupla formada pelo saudita Saleh Alsaif e o espanhol Oriol Montijano – Can-Am venceu a etapa. A segunda colocação ficou com os espanhóis Gerard Farres Guell e Armand Monleon – Can-Am (+ 00h 01’ 40”). Mantendo uma excelente consistência, o último degrau do pódio foi conquistado pelos chilenos Francisco Chaleco Lopez e Juan Pablo Vinagre – Can-Am (+ 00h 02’ 43”). Os poloneses Aron Domzala / Maciej Marton – Can-Am ficaram com a 4ª colocação (+ 00h 03’ 17”).
A dupla brasileira Reinaldo Varela / Maykel Justo - Can-Am X3 terminou a etapa com o 7º melhor tempo (+ 00h 06’ 44”).
A dupla formada pelo americano a dupla Austin Jones e o brasileiro Gustavo Gugelmin fez o 9º tempo (+ 00h 10’ 18”).
Após duas etapas Francisco Chaleco Lopez e Juan Pablo Vinagre mostraram a importância da regularidade de bons resultados e assumiram a liderança da categoria.
Chaleco é o campeão de 2019. A segunda colocação está não mãos da dupla Aron Domzala / Maciej Marton (+ 00h 00’ 39”), seguidos de Gerard Farres Guell e Armand Monleon (+ 00h 01’ 01”). Também bastante próximo vêm Reinaldo Varela / Maykel Justo na 4ª colocação (+ 00h 04’ 09”) e Austin Jones / Gustavo Gugelmin (+ 00h 06’ 50”).
A dupla dos portugueses Lourenço Rosa / Joaquim Dias fez uma ótima 10ª colocação na etapa (+ 00h 18’ 57”) e na acumulada subiu para a 12ª colocação (+ 01h 10’ 31”).
Nos protótipos T3 a vitória na etapa foi para o jovem americano Seth Quintero que faz dupla com o alemão Dennis Zenz – OT3. A espanhola Cristina Gutierrez Herrero ao lado do francês François Cazalet - OT3 fez o segundo melhor tempo (+00h 02’ 22”).
Após duas etapas a liderança é de Cristina Gutierrez Herrero / François Cazalet seguidos por Seth Quintero / Dennis Zenz (+ 00h 17’ 33”) e na terceira colocação a dupla dos suecos Mattias Ekstrom, o ilustre estreante bicampeão da DTM e Campeão do Mundial de Rallycross, formando parceria com Emil Bergkvist – Yamaha X-Raid (+ 00h 42’ 15”).
A dupla dos portugueses Rui Carneiro e Felipe Serra - Can-Am terminou a etapa na 16ª colocação (+ 01h 23’ 27”), mesma colocação da acumulada onde já acumulam mais de 6 horas em relação ao líder dos Protótipos T3.
Por Klever Kolberg
Foto Divulgação: Frédéric Le Floc'h / Antonin Vincent / DPPI
Angelo Savastano - Savastano Photo Sport