Rally Dakar 2021 - Etapa 4

Os competidores percorreram um total de 813 km, sendo 337 km cronometrados com dunas, vales, pedras e muita areia, um percurso ligando Wadi Ad Dawasir a Riyadh.

Rally Dakar 2021 - Etapa 4
Rally Dakar 2021






MOTOS
A disputa nas motos continua intensa. Nenhum competidor conseguiu despontar na ponta, mas a 4ª etapa serviu para mostrar que existem outras estratégias além de acelerar tudo para vencer uma etapa e arcar com os prejuízos no dia seguinte. O novo líder do Dakar após a 4ª etapa mostrou que tão importante quanto andar rápido, a consistência de bons resultados também pode ser lucrativa. Com a 5ª colocação na etapa (+ 00h 07’ 19”) o francês Xavier de Soultrait – Husqvarna é o novo líder da categoria. Nas etapas anteriores ele conquistou a 6ª, 10ª e 5ª posições.
Esta estratégia pode também trazer um outro benefício que deve se revelar na segunda metade da prova. Largando do “segundo pelotão” o francês cometeu menos erros de navegação e não precisou acelerar ao máximo para recuperar o tempo perdido. Além de não correr riscos excessivos, provavelmente deve ter economizado no desgaste dos pneus traseiros, que com o novo regulamento serão limitados a seis durante toda a prova. Não temos certeza de que isso aconteceu de fato, a resposta só nos próximos dias.
Esta atenção e estratégia no uso dos pneus parece estar começando a preocupar os pilotos e ditar o ritmo. Largando da 30ª posição devido às dificuldades de navegação por abrir a etapa anterior, a vitória do dia ficou com o espanhol Joan Barreda – Honda. Na chegada o piloto estava feliz com o resultado, mas demonstrou alguma preocupação com os pneus, quando afirmou que tinha acelerado muito, o que aquece demais o pneu traseiro. E este era o terceiro pneus utilizado em apenas 4 etapas. Para os mais desconfiados e adeptos da teoria da conspiração, pode parecer estranho um piloto de ponta revelar sua estratégia.

Chama ainda mais a atenção para este fato o desempenho do o americano Ricky Brabec – Honda, defensor do título de 2020. Largando da 25ª posição, não seria novidade o americano ficar entre os ponteiros da etapa, mas com um desempenho fora do esperado, Brabec concluiu a etapa na 18ª posição (+ 00h 12’ 53”). Será que o americano decidiu controlar o desgaste dos pneus e prepara um ataque para as etapas seguintes? Esta parece a pergunta de um milhão de dólares.
Seguindo Barreda, a 2ª colocação da etapa ficou com o piloto de Botsuana, Ross Branch – Yamaha (+ 00h 05’ 57”). Ele afirmou ter acelerado tudo que sua moto podia e no final do dia fez um agradecimento ao fabricante japonês. O australiano estreante no Dakar, Daniel Sanders – KTM, conquistou a 3ª colocação do dia (+ 00h 06’ 09”).
Do bloco que largou na frente, o britânico Sam Sunderland – KTM ficou com a 12ª posição (+ 00h 10’ 13”). O argentino Kevin Benavides – Honda foi o 14º colocado (+ 00h 11’ 38”) e o australiano Toby Price- KTM, primeiro a largar, sofreu com um erro de navegação e finalizou o dia na 22ª posição (+ 00h 14’ 12”).
Após a etapa Xavier de Soultrait lidera, com Barreda na garupa de sua moto, apenas 15 segundos de diferença. Ross Branch é o 3º colocado (+ 00h 05’ 24”). Benavides é o 4º (+ 00h 05’ 24”), tem o mesmo tempo de Branch. O americano Skyler Howes – KTM é tem a 5ª posição (+ 00h 05’ 26”), apenas dois segundos mais lento! Sam Sunderland é o 7º colocado (+ 00h 07 13”), seguido por Toby Price na 8ª posição (+ 00h 07’ 47”). Ricky Brabec vem na 15ª colocação (+ 00h 16’ 21”).
Destaque para a performance espetacular do português Joaquim Rodrigues – Hero. Rodrigues foi o 6º mais rápido na etapa (+ 00h 07’ 21”). Seu melhor resultado nesta edição que o ajudou a subir da 18ª para a 16ª posição na classificação acumulada após 4 etapas (+ 00h 21’ 36”).
Sebastian Bühler – Hero continua mantendo sua consistência. Ele fechou o dia com a 25ª colocação na etapa (+ 00h 17’ 19”), mantendo a 24ª posição na acumulada (+ 00h 48’ 48”).
O estreante Rui Gonçalves – Sherco não conseguiu repetir o ótimo desempenho da etapa anterior. O piloto português foi o 42º mais rápido na especial (+ 00h 43’ 50”) e perdeu algumas posições na acumulada, caindo da 22ª para a 28ª colocação (+ 01h 11’ 44”). Alexandre Azinhais – KTM encerrou sua participação na prova devido a quebra do motor no km 22 da especial.

UTV
A disputa na categoria SSV continua quente. Nesta 4ª etapa a dupla dos poloneses Aron Domzala / Maciej Marton – Can-Am levou a melhor, recuperando o tempo perdido no dia anterior. Seus compatriotas Michal Goczal / Szymon Gospodarczyk – Can-Am confirmaram o bom resultado da 3ª etapa com a conquista da 2ª colocação (+ 00h 02’ 44”) Se mantendo na disputa, a dupla formada pelo americano Austin Jones e o brasileiro Gustavo Gugelmin completou o pódio do dia (+ 00h 02’ 48”), apenas 4 segundos mais lenta que Goczal / Gospodarczyk. Também colados, apenas mais 2 segundos, chegaram os chilenos Francisco Chaleco Lopez e Juan Pablo Vinagre – Can-Am (+ 00h 02’ 50”).
Após quatro etapas e pelo terceiro dia consecutivo, Francisco Chaleco Lopez e Juan Pablo Vinagre continuam como líderes da categoria. Mas Aron Domzala e Maciej Marton encurtaram a diferença. Seguem na vice-liderança (+ 00h 03’ 18”), seguidos de Austin Jones e Gustavo Gugelmin na 3ª colocação (+ 00h 08’ 11”).
Os brasileiros Reinaldo Varela e Maykel Justo – Can-Am não conseguiram ter uma etapa limpa. Fizeram o 14º tempo na etapa (+ 00h 16’ 45”). Com este resultado perderam mais uma posição e passam a ocupar a 8ª colocação na acumulada (+ 00h 40’ 59”).
Após dois dias ótimos, a dupla dos portugueses Lourenço Rosa / Joaquim Dias – Can-Am teve pequenos problemas. Dois furos de pneus e no final da especial ficou sem a tração dianteira, atolando e perdendo cerca de 20 minutos nas dunas, mas completando a etapa na 24ª colocação (+ 00h 38’ 17”). Na acumulada caiu da 11ª para a 14ª colocação (+ 01h 56’ 19”).
Nos protótipos T3 o britânico Kris Meeke, experiente piloto do WRC que faz sua estreia no Dakar em dupla com o holandês Wouter Rosegaar – Zephyr, conquistou a vitória na etapa. A dupla do americano Mitchell Guthrie e o norueguês Ola Floene – OT3 chegou colada, apenas 6 segundos mais lenta. Fechando o pódio do dia chegou a dupla do americano Seth Quintero e o alemão Dennis Zenz – OT3 (+ 00h 02’ 57”).
A dupla de Cristina Gutierrez Herrero / François Cazalet – OT3 liderava a categoria desde a 1ª etapa, mas teve um dia para esquecer, chegou na 18ª colocação (+ 00h 55’ 18”), caindo para a vice-liderança (+ 00h 44’ 08”).
Os novos líderes após 4 etapas são Seth Quintero e Dennis Zenz. A dupla dos suecos Mattias Ekstrom, o ilustre estreante bicampeão da DTM e Campeão do Mundial de Rallycross, ao lado de Emil Bergkvist – Yamaha X-Raid volta a ocupar a 3ª colocação na classificação acumulada (+ 00h 56’ 01”).

Por Klever Kolberg
Foto Divulgação: Antonin Vincent / Frédéric Le Floc'h / Eric Vargiolu / Marcelo Maragni / DPPI
Angelo Savastano – Savastano Photo Sport