Rally Dakar 2021 - Etapa 6

Sexto dia de competição apresentou grandes mudanças na classificação geral.

Rally Dakar 2021 - Etapa 6
Rally Dakar 2021






MOTOS
Devido à dificuldade para vários competidores completarem a 5ª etapa, a organização decidir retardar a largada da 6ª etapa em 90 minutos e reduzir em 100 km o roteiro original, ficando para serem percorrido total de 518 km, sendo 348 km cronometrados, desta vez com muita areia e uma navegação menos exigente, um percurso ligando Al Qaisumah a Há’il, onde neste sábado será o dia de descanso da caravana.
Nesta primeira metade do Dakar 2021 o desempenho da maioria dos competidores foi de altos e baixos, um verdadeiro ioiô controlado pela navegação. A etapa de descanso servirá para todos reporem as energias, fazerem as contas sobre os pneus e alinharem suas estratégias para a segunda metade da prova, que terá decisiva etapa Maratona. Os sete primeiros classificados estão a menos de 7 minutos de diferença, mostrando que o resultado ainda está em aberto, nenhum deles tem margem para erros ou vantagem para administrar o resultado.
Se recuperando do tempo perdido no dia anterior, o espanhol Joan BarredaHonda conquistou sua terceira vitória no Dakar. Nesta alternância de resultado, o espanhol continua na luta pelo primeiro título do Dakar, mas mesmo com mais uma vitória, após 6 etapas Barreda é o 7º colocado (+ 00h 06’ 25”).
Com a vitória na etapa anterior, o argentino Kevin Benavides – Honda teve de abrir a especial, mas contou com a ajuda de seu companheiro de equipe, o chileno Jose Ignacio Cornejo, que tem como pontos fortes a navegação. Mesmo andando juntos foram alcançados por Toby Price- KTM, que largou em terceiro, formando um trio que andou num ritmo muito forte mesmo sem rastros pela frente. Price, mesmo tendo sofrido uma pequena queda, completou a especial com o 7º melhor tempo (+ 00h 03’ 54”), e assim voltou a liderança da prova. Cornejo foi o 11º colocado na etapa (+ 00h 06’ 52”) e conseguiu se manter na 3ª colocação da acumulada após 6 etapas (+ 00h 02’ 57”). Benavides ficou com a 15ª colocação na etapa e chega ao dia de descanso como vice-líder da categoria (+ 00h 02’ 16”).
Ross Branch – Yamaha aproveitou a vantagem de ser o 9º a largar e fez o 2º melhor tempo na etapa, apenas 13 segundos mais lento que Barreda. Com o resultado o piloto de Botsuana subiu da 8ª para a 4ª colocação na acumulada (+ 00h 03’ 41”).
Xavier de Soultrait – Husqvarna tentou continuar fiel a sua estratégia, sempre consistente, mas teve seu pior desempenho desde a largada, uma 14ª posição (+ 00h 08’ 47”), o que não chega a ser um grande prejuízo. Com este resultado o francês é o 5º colocado na geral (+ 00h 03’ 41”), o mesmo tempo acumulado de Ross Branch.
O britânico Sam Sunderland – KTM perdeu algum tempo no início da especial, mas durante o dia consegui minimizar o prejuízo para conquistar a 9ª posição na etapa (+ 00h 05’ 54”). O campeão do Dakar 2017 chega ao meio da prova ocupando a 6ª colocação na acumulada (+ 0004’ 23”).
Após dois dias de um desempenho irreconhecível, o americano Ricky Brabec – Honda voltou a frequentar o bloco dos mais rápidos, foi 4º colocado na especial (+ 00h 02’ 24”). Numa entrevista o americano parecia cabisbaixo vendo seu sonho de bicampeonato se distanciar, já que na acumulada Bradec é o 13º colocado (+ 00h 19’ 56”).
O português Joaquim Rodrigues – Hero também voltou a fazer um TOP 10. Conquistou a 7ª posição na etapa (+ 00h 04’ 35”). Com o resultado ele subiu da 19ª para a 17ª colocação na acumulada (+ 00h 45’ 01”).
Sebastian Bühler – Hero manteve a série de bons resultados. Na etapa fez o 21º melhor tempo (+ 00h 20’ 34”) e na classificação acumulada é o 21º colocado (+ 01h 26” 45”).
O português Rui Gonçalves – Sherco, um dos melhores estreantes da prova, foi o 36º na especial (+ 00h 46’ 40”). Com o resultado manteve a 28ª colocação na acumulada (+ 02h 43’ 47”).
UTV / SSV
Os chilenos Francisco Chaleco Lopez e Juan Pablo Vinagre – Can-Am que lideravam a categoria desde a segunda etapa, enfrentaram problemas mecânicos no km 233, perdendo quase uma hora para realizar o reparo. Concluíram a etapa com o 20º tempo (+ 00h 53’ 05”), caindo da 1ª para a 3ª colocação no acumulado (+ 00h 35’ 51”).
A fila andou. Os poloneses Aron Domzala / Maciej Marton – Can-Am assumiram a liderança na classificação acumulada com 4º melhor tempo na etapa (+ 00h 07’ 23”).
Com o 30 melhor tempo na etapa (+ 00h 05’ 26”), o 4º pódio consecutivo, a dupla do americano Austin Jones e o brasileiro Gustavo Gugelmin assumiu a vice-liderança da categoria e reduziu para apenas 40 segundos a diferença para os líderes.
A vitória na etapa foi conquistada pela dupla do catariano Khalifa Al Attiyah e o italiano Paolo Ceci – Can-Am, que na acumulada ocupa a 9ª colocação (+ 02h 19’ 54’’).
Após ter problemas em três dias consecutivos, os brasileiros Reinaldo Varela e Maykel Justo – Can-Am conquistaram o 6º melhor tempo da etapa (+ 00h 08’ 03”). Com o resultado subiram da 8ª para a 6ª colocação na acumulada (+ 01h 25’ 11”).
Excelente dia para os portugueses Lourenço Rosa / Joaquim Dias – Can-Am. Eles tiveram seu resultado. Completaram a etapa na 8ª colocação (+ 00h 25’ 27”). Na acumulada subiram da 12ª para a 10ª colocação (+ 02h 49’ 26”).
Nos protótipos T3 o americano Seth Quintero e o alemão Dennis Zenz – OT3 continuam dominando. Conquistaram sua quarta vitória em sua estreia no Dakar. A 2ª colocação da etapa ficou com os franceses Jean Remy Bergounhe e Jean Brucy – Zephyr (+ 00h 27’ 21”). Os checos Tomas Enge e Vlastimil Tosenovsky – Buggyra Can-Am ficaram com o 3º melhor tempo (+ 00h 33’ 38”).
Com este resultado Seth Quintero e Dennis Zenz são cada mais vezes donos da 1ª colocação. Eles ampliaram para quase 2 horas sua vantagem sobre Cristina Gutierrez Herrero e François Cazalet – OT3, que continuam como vice-líderes (+ 01h 56’ 54”). Os franceses Jean-Luc Pisson e Valentin Sarreaud – Zephyr subiram para a 3ª colocação na acumulada (+ 02h 36’ 37”).
A dupla dos portugueses Rui Carneiro e Filipe Serra – Can-Am completou a etapa com o 12º melhor tempo (+ 01h 15” 09”). Após seis etapas está na 9ª colocação (+ 08h 13’ 15”).

QUADRICICLOS 
Após uma 5ª etapa decisiva, o resultado da 6ª especial confirma a supremacia do argentino Nicolás Cavigliasso – Yamaha. Mesmo sem ser o mais rápido do dia, fez o 3º tempo (+ 00h 02’ 21”), Cavigliasso conseguiu ampliar sua vantagem na liderança da prova, que já é de mais de 33 minutos sobre seu compatriota Manuel Andújar, 4ª colocado nesta 6ª etapa (+ 00h 11’ 31”).
O francês Alexandre Giroud - Yamaha foi o mais rápido nesta sexta-feira, seguido do chileno Giovanni Enrico – Yamaha, apenas 34 segundos de diferença. Mas ambos perderam muito tempo no dia anterior. Na acumulada Giroud é o 3º colocado (+ 00h 45’ 22”) e Enrico o 4º colocado (+ 00h 50’ 19”).

Por Klever Kolberg
Foto Divulgação: Frédéric Le Floc'h / Florent Gooden / DPPI
Angelo Savastano - Savastano Photo Sport