VAMOS AJUDAR O GUI CAMPOS

Um dos melhores pilotos de moto que o Brasil assistiu nas competições sofreu uma lesão cerebral, perdeu a memória e sequer tem conexão afetiva com as duas filhas pequenas. Existe esperança, e o mundo off-road pode ajudar!!

VAMOS AJUDAR O GUI CAMPOS






Guilherme Campos, um dos melhores pilotos de moto que o Brasil assistiu nas competições de enduro, sofreu uma lesão cerebral e perdeu a memória e sequer tem conexão afetiva com as duas filhas pequenas. Existe esperança, e o mundo off-road pode ajudar!!

HISTÓRIA NO ESPORTE

Já se vão 30 anos desde o início da década de 90, quando um nome brilhava nas competições: Guilherme Campos, ou simplesmente o "GUI". Sua vida como piloto não era fácil, pois seu principal concorrente no esporte era ninguém menos que Bernardo Magalhães, oque viria a ser o primeiro brasileiro a se mudar para a Europa e disputar o Campeonato Mundial de Enduro. 

Em 1991, a bordo de uma Agrale EX 27.5, Guilherme Campos conquistou o primeiro dos três Enduros da Independência que venceu em sua vida, sempre na categoria principal. Voltou a ser campeão em 1995 (Suzuki) e 1996 (Husqvarna). 

Após deixar ao esporte e passar a se dedicar ao trabalho e à família, Guiu Campos manteve seu jeitinho tranquilo, um legítimo mineiro. Continuou na ativa, mas nas Bicicletas de Montanha. E Bê Magalhães manteve-se ao seu lado, como companheiro de aventuras nas duas rodas. A amizade entre eles os transformou em cumpadres. Bê e sua esposa, Paula, são padrinhos de Liz, a filha mais velha de Guilherme. 

DRAMA

Recentemente a saúde passou uma rasteira nesta família. Foi num domingo, quando ele acordou cedo e foi correr a pé na Trilha Perdidas (Nova Lima, MG). Depois voltou para casa. Almoçou, deitou na sala para ver um filme com a filha mais velha e o coração parou... Foram 50 minutos. A esposa dele percebeu e ficou segurando a oxigenação no boca a boca e massagem cardíaca até chegada do Samu...

Guilherme está passando por uma questão muito delicada, que é definida a seguir por sua esposa, a Bia. 

"O nosso Gui sofreu uma parada cardio respiratória fulminante em 2019 que teve como consequência uma lesão cerebral por falta de oxigenação. Foram meses de luta no hospital. Os 50 minutos que ele ficou sem oxigenação adequada no cérebro o fizeram perder a memória, ter problemas cognitivos, perdendo a conexão afetiva com a nossa filha, Liz de seis anos e muito menos com Maria que nasceu três meses após o acidente. Hoje existe esperança em um tratamento pioneiro de pesquisa com células tronco nos EUA. Gui foi selecionado pela equipe de cientistas para o tratamento. Porém custa um dinheiro que ele não tem: Cento e quarenta mil reais (R$ 140.000,00) equivalente ao hospital, passagens, hospedagens e outras pequenas despesas."

PENSE BEM: NÓS TEMOS!!

Sem dúvidas, 140 mil reais é mesmo muito dinheiro para uma única pessoa conseguir, assim tão rapidamente. Mas a nossa comunidade off-road tem. Este dinheiro todo está espalhado, em notas de 10 e 50 reais, muitas vezes esquecidos nos bolsos dos praticantes do esporte. Entendemos que em tempos de pandemia nem sempre ficou fácil ajudar, mas ao mesmo tempo, ficou ainda mais difícil conseguir ajuda. Portanto, se você pode ajudar, faça como nós, ajude. São duas etapas: 

  1. Depositar na conta abaixo
  2. Repassar a mensagem aos seus amigos. 


Banco Itaú 
Guilherme de Oliveira Campos (Qualquer ajuda é bem vinda!!!)
Cpf: 685.714.706-00
Cc: 12.091-3
Agencia: 3832

Antes de finalizar, mais um recado da Bia, esposa do Gui, e mãe da Liz e da Maria: "Precisamos de ajuda o mais rápido possível. Gui tem que estar nos EUA nos primeiros dias de fevereiro. Temos todos muita esperança de que ele volte a se lembrar das filhas, da familia e ajude com a experiência a melhorar a vida de tantas outras pessoas. Este tratamento poderá, no futuro, beneficiar pessoas do mundo inteiro!!!! Muito obrigada!"

Ajude a levar o Gui p os EUA! Doe! Compartilhe! Postaremos tudo sobre essa corrente do bem no IG do Gui @juntospelogui100 
Juntos somos fortes!!!!!!

Na foto acima, Bê Magalhães e Guilherme Campos

Na foto abaixo, Gui ao lado de grandes amigos das trilhas

NOTA DO JECA JOIA: Ele venceu muitas corridas sozinho. Agora é nossa hora de ajudá-lo a vencer a maior das competições!!